Artigos

Qual o desafio da Nutrição em um hospital de transição?

02/10/19 • Por Nutricionista Raíla Emmel

1) Qual o desafio da nutrição em um hospital de transição como o Placi?

Recebemos pacientes que chegam ao Placi após longos períodos de internação prévia, inúmeras reinternações e, muitas vezes, debilitados do ponto de vista nutricional (desnutrição, perda de massa muscular e fragilidade). Diante desse cenário, trabalhamos individualmente para manutenção e/ou recuperação do estado nutricional, de acordo com o nível de assistência, e traçamos o plano terapêutico, tendo em vista: estímulo do prazer em se alimentar, de preparar o alimento e perceber seus sabores, sempre incentivando a autonomia, valorizando e respeitando questões culturais e regionais e promovendo socialização com familiares e outros pacientes.

2) Quais os critérios para definição do cardápio de cada paciente?

O cardápio é preparado com todos os grupos de alimentos. Buscamos manter uma harmonia entre cores, sabores e textura, oferecendo assim uma alimentação equilibrada em nutrientes. Além disso, procuramos personalizar as refeições de acordo com a preferência do paciente e flexibilizamos, sempre que possível, a dieta com alimentos que trazem conforto, prazer e memórias afetivas.

3? Nos casos em que o paciente necessita de reabilitação nutricional, como é feito o acompanhamento para restabelecer o paciente? A equipe multidisciplinar entra em ação para dar apoio ao processo de recuperação?

No Placi, assim que o paciente é admitido para reabilitação, realizamos triagem do risco nutricional, avaliação do estado de nutrição e risco para sarcopenia (perda de massa e força muscular). A partir daí, traçamos metas, prazos e reavaliações periodicas, promovendo assim mais segurança e confiança ao paciente e à família. Toda a equipe atua de forma engajada para que esses pacientes consigam não só melhora da capacidade funcional, como também a reinserção social e, principalmente, possam recuperar o sentido da vida.